Não importa o patrocinador que estampa as camisas dos jogadores e dos torcedores do Flamengo, o maior impulsionador das vitórias flamenguistas é ninguém menos que São Judas Tadeu.

Como assim?!! O primo de Jesus Cristo por acaso foi flamenguista? Como se ele viveu há mais de dois mil anos e o Flamengo foi fundado só em 17 de novembro de 1895?

Tá bom! Vamos explicar isso!

No dia 28 de outubro celebra-se o Dia do Flamenguista, homenageando os mais de 42 milhões de rubronegros espalhados pelo Brasil, sem contar os apaixonados pelo time que residem em outros países. Neste mesmo dia, celebramos a memória do nosso padroeiro. E essa coincidência não é à toa.

Na comunidade católica, São Judas Tadeu é conhecido como o santo das causas impossíveis, e tradicionalmente, os flamenguistas que professam essa religião aproveitam o dia 28 de outubro para participar das missas e fazer seus pedidos e agradecimentos ao santo.

Mas como esta devoção ao santo começou?

Reza a lenda que a ‘seca’ rubronegra foi interrompida graças a uma missa celebrada, na Gávea, pelo Padre Luiz Gonzaga de Campos Góes, o primeiro pároco da, então, recém fundada igreja de São Judas Tadeu, no Cosme Velho.

Na ocasião, o religioso (que muito certamente era flamenguista!) pediu para que a assembleia participante da celebração acendesse uma vela pedindo ajuda para o santo. Feito isso, nas palavras do padre, o time voltaria a ser campeão. A ‘intervenção do céu’ parece ter funcionado, pois o Flamengo voltou com tudo, conquistando três títulos estaduais consecutivos (1953, 1954 e 1955).

Isso foi mais que suficiente para fazer o santo cair nas graças da torcida e ser considerado, por ela, o padroeiro do clube. Aliás, a própria instituição o considera como tal, tendo, inclusive, informações a respeito em seu site oficial (https://www.flamengo.com.br/pesquisar?atributo=s%C3%A3o+judas+tadeu).

A devoção do torcedor rubronegro, quase fanática, é tão grande que todo dia 28 de outubro ele procura uma igreja para rezar. Para agradecer, quando o time está bem, e para implorar por uma melhora quando ele está mal. Além disso, tradicionalmente, na data comemorativa, é celebrada uma missa na Gávea para homenagear o padroeiro.

Futebol é alegria, esporte é vida… e a fé do torcedor realiza milagres em campo, fortalecendo e animando sempre a esperança pela renovada alegria do pódio. Torcer é acreditar… às vezes até no impossível, e ninguém melhor que São Judas Tadeu – o santo das causas impossíveis – para acompanhar essa nação que veste o seu manto sagrado.

Deixe um Comentário